terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Ecoturismo, educação ambiental e cidadania.


Nas atividades de ecoturismo, que também podem ser consideradas econegócios, a educação ambiental precisa estar bem definida e utilizar metodologias múltiplas adequadas aos diversos ramos e realidades culturais, sociais, econômicas, sociológicas em que estão estabelecidos os projetos. Pela definição da Embratur – Instituto Brasileiro de Turismo e do Ministério do Meio Ambiente “Ecoturismo é um segmento da atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem estar das populações.” 

Na maioria das circunstâncias os próprios projetos de ecoturismo são considerados atividades de educação ambiental, mas para isso precisam adequação em suas características e treinamento integrado dos colaboradores e voluntários em suas diversas atividades. A conservação e a preservação locais buscam ampliar a dimensão dos visitantes para a importância da mesma atitude em relação a outros locais, protegidos ou não.

O cálculo correto da capacidade de carga é fundamental para a eficiência dos projetos e programas de educação ambiental, facilitando o planejamento, o desenvolvimento das atividades e metodologias, a comunicação, a escolha e o uso adequado dos meios e ferramentas utilizadas. Existem vários métodos de cálculo da capacidade em diferentes circunstâncias e de acordo com as características dos empreendimentos. É fundamental os educadores e agentes em educação ambiental conhecerem a metodologia utilizada e adequarem os programas aos limites, conceitos e condicionantes estabelecidos na implantação das atividades de ecoturismo.



Cálculo básico da capacidade de carga em empreendimentos de ecoturismo:

STUT = Superfície Total Utilizada pelos Turistas;
AM = Área Média Utilizada pelos turistas.
Capacidade de carga = STUT/AM
NHAD = Número de Horas Aberto Diariamente;
TMV = Tempo Média das Visitas.
Coeficiente de Rotação = NHAD/TMV
Total de Visitas Diárias = Capacidade de Carga X Coeficiente de Rotação
Exemplo:
STUT = 100 hectares; AM= 2 hectares; STUT/AM = 100/2 = 50
NHAD = 10 horas; TMV = 5 horas; NHAD/TMV = 10/5 = 2
Total de Visitas Diárias = 50 x 2 = 100

A formação de bancos de imagens através de levantamento fotográfico e de vídeos é um auxiliar importante da educação ambiental nas atividades de ecoturismo, seja na divulgação ou na orientação, motivação e capacitação dos visitantes. A formação adequada dos guias e orientadores para destacarem aspectos socioambientais, econômicos, educativos e históricos específicos dos locais é importante, considerando que muitos visitantes não têm a familiaridade suficiente para perceberem espontaneamente estas especificidades. 

As informações aos visitantes são comunicadas em locais específicos ou no ambiente natural, ou em ambos a depender dos recursos, objetivos, público, condições climáticas e disponibilidade de espaço, entre outros fatores. A sinalização das trilhas e dos locais com orientações a respeito da população local, dos limites, dos cuidados com plantas e animais, preservação do patrimônio natural e histórico, do lixo, dos perigos, são ações educativas fundamentais nos projetos de ecoturismo socialmente, ambientalmente, e economicamente integrados às comunidades e com responsabilidade pela formação cidadã presente e das gerações futuras.


Antonio Silvio Hendges,
Professor de Biologia, Pós Graduado em Auditorias Ambientais, assessoria e consultoria em educação ambiental, articulista na imprensa ambientalista brasileira, Diretor do Cenatec e editor deste blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário