terça-feira, 26 de novembro de 2013

Organização de pessoal num Sistema de Gestão Ambiental


gestão ambiental
Artigo de Roberto Naime

A implementação de um processo de gestão ambiental dentro de uma organização constitui um convite a uma evolução cultural sem precedentes dentro da estrutura.
Pela primeira vez, o pessoal de vendas e marketing pode estar lidando com questões ambientais relacionadas a marketing de produtos. O pessoal de pesquisa e desenvolvimento pode começar a considerar questões relacionadas dentro do contexto de desenvolvimento de projetos de produtos.
Os conceitos de “ecodesign” vão aflorar da interação entre o pessoal técnico do meio ambiente, com o pessoal de vendas e marketing e com a equipe de pesquisa e desenvolvimento. Mais do que um desafio é uma oportunidade para uma revolução, no pleno sentido da expressão.
São definições imprescindíveis na organização de pessoal em relação aos processos de gestão ambiental:
  • Serviços de caráter permanente: são aqueles que a empresa contrata por tempo indeterminado e que não são sazonais ou eventuais;
  • Gestor de contrato: Gerenciador do contrato, responsável direto pela atividade contratada dentro da organização;
  • Gestor de contratada: Gestor da empresa contratada que está prestando serviço para a organização, responsável direto pela atividade e pela avaliação da competência dos colaboradores da contratada;
  • Requisitos e dispositivos relevantes: são aqueles que a contratada deverá conhecer para realizar suas atividades de acordo com a Política Ambiental da organização;
  • Contratada: aquela empresa que prestará o serviço contratado;
  • Avaliação de competência dos serviços de contratadas: instrumento utilizado para avaliação da competência dos serviços prestados por empresas contratadas em relação às atividades desenvolvidas no cumprimento do Sistema de Gestão Ambiental (SGA) interno, os requisitos da contratada geralmente se encontram explicitados e definidos em contrato, aditamentos ou anexos contratuais.
Na questão de recursos humanos, será necessário estabelecer processos de treinamento e qualificação permanentes, sempre considerando as responsabilidades técnicas e pessoais que as normas definem e as funções que serão assumidas pelos novos contratados.
Também é necessário considerar as recomendações quanto aos tipos de treinamento exigidos, os públicos-alvo que serão atingidos e as finalidades a serem alcançadas.
A educação ambiental representa hoje uma necessidade permanente, transversal a todas as áreas do conhecimento humano.
A Educação é a base para o desenvolvimento e a vida civilizada, pois através dela as pessoas têm subsídios para exigir seus direitos e cumprir os seus deveres, ou seja, as pessoas têm condições de desempenhar o seu papel de cidadão.
A participação pode ocorrer nos mais diversos níveis: no caso da participação em relação à resolução dos problemas ambientais, ela é a principal das profundas transformações que estão ocorrendo para assegurar a convivência democrática, sustentável e harmônica dos seres humanos entre si e com o ambiente.
A educação ambiental tem seu eixo fundamental na práxis de novas atitudes em relação aos problemas ambientais. A educação ambiental tem por premissa a reflexão sobre as ações individuais e coletivas e sua ação prática responde pelo processo de aprendizagem (Naime e Garcia, 2004).
Quanto à responsabilidade técnica e pessoal, as normas apresentam um exemplo que pode servir de orientação, conforme mostra a Tabela 1.
Tabela 1 – Exemplos de Responsabilidades Ambientais.
Exemplos de Responsabilidade AmbientalPessoa(s) Responsável(is) Típicas
Estabelecer a orientação geralPresidente, Executivo principal, Diretoria
Desenvolver a política ambientalPresidente, Executivo principal, Diretoria
Desenvolver objetivos, metas e programas ambientaisGerentes envolvidos
Monitorar desempenho global do Sistema de Gestão Ambiental (SGA)Gerente ou encarregado do Meio ambiente
Assegurar o cumprimento dos regulamentosGerentes Operacionais
Assegurar a melhoria contínuaTodos os gerentes
Identificar as expectativas dos clientesPessoal de vendas e marketing
Identificar as expectativas dos fornecedoresPessoal de compras e de contratações
Desenvolver e manter ação contábilGerentes financeiros e contábeis
Cumprir os procedimentos definidosTodo o pessoal
Nota: No caso de pequenas e médias empresas, o pessoal responsável pode ser o proprietário.
O treinamento envolve aspectos de conscientização ambiental, motivação e comunicação, extensivos a toda a organização. Um processo de treinamento eficaz envolve várias etapas e elementos essenciais, a saber:
  1. Identificação das necessidades de treinamento da organização
  2. Desenvolvimento de planos dirigidos de treinamento
  3. Verificação e avaliação da conformidade do programa de treinamento previsto com os requisitos legais ou organizacionais
  4. Treinamento de grupos específicos de dirigentes ou empregados
  5. Documentação do treinamento realizado
  6. Avaliação dos resultados do treinamento recebido
O treinamento deve ser realizado ao longo dos procedimentos de implantação do SGA e permanentemente atualizado e reaplicado segundo um programa previamente estabelecido.
A Tabela 2 define as formas de treinamento ambiental e os objetivos a serem alcançados com cada uma.
Tabela 2 – Formas de treinamento ambiental para organizações.
Tipo de TreinamentoPúblicoFinalidade
Conscientização sobre a importância estratégica da gestão ambientalGerência ExecutivaObter o comprometimento e harmonização com a política ambiental da organização
Conscientização sobre as questões ambientais em geralTodos os colaboradoresObter o cumprimento com a política ambiental, seus objetivos e metas, fomentando um senso de responsabilidade individual
Aperfeiçoamento de habilidadesEmpregados com responsabilidades ambientaisMelhorar o desempenho de áreas específicas da organização.
Cumprimento dos requisitosEmpregados cujas ações podem afetar o cumprimento dos requisitosAssegurar que os requisitos legais e internos para treinamento sejam cumpridos

Dr. Roberto Naime, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em Geologia Ambiental. Integrante do corpo Docente do Mestrado e Doutorado em Qualidade Ambiental da Universidade Feevale.
EcoDebate, 26/11/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário