quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Indicadores Ambientais


indicadores ambientais
Artigo de Roberto Naime

A implantação de um Sistema de Gestão Ambiental deve ser monitorada para aferir seu funcionamento, sua efetividade e determinar as melhorias necessárias.
Não faz sentido uma organização investir recursos financeiros e muitos recursos humanos, que também tem seu custo transferido para a conta de capital, sem que tenha a preocupação em obter resultados satisfatórios, tanto sob a dimensão institucional quanto sob o próprio enfoque gerencial e com resultados ambientais percebidos e incontestáveis externamente.
A criação de indicadores ambientais não é exatamente um requisito normativo. É muito mais uma necessidade institucional que atende a vários fatores além dos processos de melhoria continua:
  1. Acionistas, banqueiros e outras entidades financeiras serão sempre mais confiantes que seus investimentos estejam seguros e não sejam colocados em risco por desempenho ambiental insatisfatório, para isto, parâmetros ambientais confiáveis devem ser criados e disponibilizados da melhor maneira possível;
  2. Para partes interessadas não financeiras, tais como organismos reguladores estatais, organizações de padronização e grupos ambientalistas, indicadores de desempenho ambiental satisfatórios demonstram adequação à legislação, preocupação ambiental corporativa e um viés importante em direção à práticas de sustentabilidade;
  3. Inúmeros compradores do mercado, influenciados por estímulos e motivações diversas, podem ser cooptados pela disponibilização de indicadores ambientais satisfatórios e tomar sua opção de compra por esta decisão;
  4. Finalmente, a própria adesão ao sistema de normas ambientais obriga a medição do próprio desempenho, dentro da prática de estabelecimento de objetivos e metas quantificáveis e em constante aprimoramento.
O desempenho ambiental consiste em “resultados mensuráveis da gestão de aspectos ambientais das atividades, produtos e serviços de uma organização”. O contexto dos resultados deve ser avaliado em relação à política ambiental institucionalizada e aos objetivos e metas propostos.
Para tanto, utilizamos o instrumento da Avaliação do Desempenho Ambiental (ADA), que é um processo para “medir, analisar, avaliar e descrever o desempenho ambiental de uma organização em relação a critérios acordados para os objetivos apropriados de gestão”.
A forma de mensuração ocorre com a definição de Indicadores do Desempenho Ambiental (IDA). Um Indicador é “uma descrição específica de uma avaliação de desempenho dentro de uma área de avaliação”. É muito importante que cada organização desenvolva seus indicadores, para mensurar sua avaliação e validar seu Sistema de Gestão Ambiental.
Uma auditoria ambiental se repete em ciclos pré-determinados, semestrais, ou anuais e tem a interferência de pessoas. Indicadores de Desempenho Ambientais (IDA), que permitem a operação de Avaliação de Desempenho Ambiental (ADA).
Esta metodologia constitui em conjunto, um processo de medição contínuo que realimenta o processo com informações valiosas, que a gerência pode utilizar para estabelecer metas e objetivos específicos mensuráveis ou implementar modificações necessárias.
A ADA é um processo contínuo de coleta e análise de informações necessário para a manutenção do bom funcionamento do Sistema, otimização e maximização dos investimentos em recursos humanos, materiais, financeiros e institucionais.
O processo da ADA tem vários benefícios. A medida do desempenho ambiental ao longo do tempo fornece discernimento em áreas problemáticas e oportunidades para melhorias. Além de subsídios permanentes para o gerenciamento do Sistema de Gestão Ambiental.
Quando da definição do Sistema de Gerenciamento Ambiental (SGA), a Avaliação do Desempenho Ambiental (ADA) pode ajudar a identificar pontos fortes e pontos fracos, aspectos gerenciais relevantes e impactos ambientais significativos.
O processo de implantação dos avaliadores do Desempenho Ambiental pode ocorrer a partir do Diagnóstico Ambiental e antes mesmo da formulação da Política Ambiental e do Sistema de Gerenciamento Ambiental (SGA). Os elementos de referência da Avaliação de Desempenho Ambiental (ADA), são os seguintes:
  • Planejamento do processo: análise de aspectos ambientais relevantes, estabelecimento do escopo do processo de Avaliação de Desempenho Ambiental (ADA), seleção e validação dos Indicadores de Desempenho Ambiental (IDA) e sistematização de coleta de informações;
  • Aplicação do processo de Avaliação de Desempenho Ambiental (ADA): coleta e análise de dados e avaliação do desempenho ambiental;
  • Descrição do Desempenho Ambiental: comunicar e reportar os objetivos e metas, internos e externos;
  • Revisão e aperfeiçoamento do processo de Avaliação de Desempenho Ambiental (ADA): melhoria contínua do próprio sistema, avaliação da utilidade e importância dos dados monitorados.
Para o bom funcionamento do processo de Avaliação de Desempenho Ambiental (ADA), é necessário uma correta escolha de Indicadores de Desempenho Ambiental (IDA).
Alguns exemplos de indicadores, apenas com o intuito demonstrativo, estão descritos abaixo. Cada empresa deve procurar e desenvolver seus indicadores conforme sua realidade e suas necessidades:
    • Número de incidentes com emissões tóxicas, ao longo do tempo, tanto em meio fluido, quanto sólido ou gasoso, em ocorrências que caracterizem impactos ambientais (descargas líquidas, rejeitos perigosos ou emissões de gases poluentes no ar);
    • Quantidade de incidentes corretamente investigados, com determinação de causas básicas;
    • A redução percentual de energia de transporte de qualquer natureza;
    • O peso das embalagens por produtos acabados e seu percentual de participação;
    • Quantidades de gás carbônico (CO2) liberadas para a atmosfera.
    Para proceder escolhas de Indicadores de Desempenho Ambiental são descritas ferramentas gerenciais, operacionais e o estado do meio ambiente.
    A organização não existe em um vácuo, mas está inserida e contextualizada no meio ambiente, definido como o conjunto de relações sistêmicas entre os meios, físico, biológico e antrópico ou sócio-econômico.
    Suas atividades operacionais ocorrem neste contexto e impactam e causam efeitos nestas condições. Assim, um processo de Avaliação de Desempenho Ambiental (ADA) incorpora formas de descrição e avaliação sobre meios locais, regionais ou globais.
    Os impactos podem ser listados e descritos nas seguintes áreas:
    • Meio físico: sobre rochas, solos, águas superficiais ou subterrâneas, geomorfologia ou climas;
    • Meio biológico: sobre a flora, a fauna, a diversidade biológica em geral e os ecossistemas;
    • Meio Antrópico: determinações sobre uso e ocupação dos espaços físicos afetados, terras alagadas, desertificação, erosão, perda de nutrientes do solo e qualquer fator relevante.
    Dr. Roberto Naime, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em Geologia Ambiental. Integrante do corpo Docente do Mestrado e Doutorado em Qualidade Ambiental da Universidade Feevale.
    EcoDebate, 12/11/2013

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário